Há pouco tempo foi publicado um texto fornecendo dicas extremamente valiosas para quem fosse à China. Bom, visando aprofundar neste tema, neste post o enfoque será nas regras de etiqueta chinesas, que são extremamente necessárias para que sua relação com esse povo seja agradável. Ao entrar em contato com os chineses, independente de acontecer no nosso continente ou do outro lado do Oceano Pacífico, é essencial ter consciência da importância de seguir regras de etiqueta que demonstrem seu respeito pela cultura do outro. Vamos entender a relevância dessas regras, como elas são, seus conceitos e sua origem.

 

Regras de etiqueta no ambiente de negócios

 

Entenda conceitualmente as regras de etiqueta chinesas

Na China existem dois conceitos básicos que se inserem no mundo dos negócios: Guanxi e Face. Esses preceitos estão ligados à relação entre pessoas. Vejamos seus significados:

  • Guanxi: quanto mais bem-visto entre os chineses maiores as chances de ter um Guanxi, ou seja, uma relação de confiança.
  • Face: este conceito seria o oposto do anterior, pois está ligado à perda de prestígio.

Outra marca da cultura chinesa, extremamente importante em negociações, é o silêncio. Para os chineses, o silêncio é necessário para pensar com mais clareza, refletir e considerar. Portanto, quando em uma reunião houver um momento desses, não interrompa ou apresse uma resposta.

 

Qual é a relevância das regras de etiqueta chinesas?

 

Na política as regras de etiqueta chinesas também se mostram como algo extremamente útil
Regras de etiqueta chinesas na diplomacia

Você já pensou em chegar em um país diferente e não conseguir alcançar nenhum resultado porque seu comportamento não agradou? Pois é, pode ser extremamente necessário entender a cultura de um país antes de visitá-lo. Por isso que, no nosso caso, é necessário entender as regras de etiqueta chinesas.

Bom, a grande questão que torna o cenário citado acima extremamente possível é a soma da abertura do mercado chinês com as grandes relações que o país tem com o Brasil. Não bastando a parceria histórica que Brasil e China possuem, ambos participam do grupo político de cooperação BRICS (constituído por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e a China, ainda, é o país que mais contribui com a nossa balança comercial – sendo assim muitas vezes nosso maior comprador e vendedor de produtos. Por isso temos tantos produtos aqui no Brasil marcados com a frase Made in China: vieram diretamente do Gigante Asiático para nós, brasileiros. Deu para perceber a enorme relevância econômica que a China tem para o Brasil, certo? Então é por isso que é muito provável que alguém que trabalhe com o comércio internacional possa ter que lidar com chineses um dia.

Além da questão comercial e econômica, é interessante conhecer suas tradições culturais e comportamentos comuns para que um dia uma visita ao Dragão Asiático, até mesmo com fins de turismo, possa ser a mais agradável possível. E, não só isso, conhecer a cultura de um país sempre pode ser algo que explica muito mais do que imaginamos. Um caminho para isso é entender as regras de etiqueta chinesas.

 

Regras de etiqueta chinesas no ambiente profissional

 

Você, que vai trabalhar na China, precisa saber disso
Regras de etiqueta são fundamentais no trabalho

Um profissional de sucesso pensará em todas as possibilidades de conquistar os chineses durante uma viagem de negócios para o país. Por isso, aprender a língua deles é um quesito a mais na hora de conquistar o guanxi. Mas cuidado, você não precisa ter fluência, porém qualquer vacilo pode resultar em face. Esteja bem preparado!

Algumas situações desconsideradas para nós, aqui no Ocidente, podem ser muito valorosas para eles, entre as mais diferentes, destacamos:

  • Cartões de visita: receba e entregue com as duas mãos, nunca ignore. Procure ler atentamente assim que recebê-lo, não faça anotações nele e não guarde no bolso da calça.
  • Troca de presentes: os chineses são supersticiosos, por isso, evite presentes como relógios ou nas cores preto e branco, pois para eles são elementos ligados à morte. Além disso, objetos cortantes podem parecer uma tentativa de cortar as relações. E só dê presentes se for para todas as pessoas envolvidas na negociação.
  • Despedidas: sempre deixe que o chinês passe à sua frente na hora de sair por uma porta ou entrar em um carro e só vire as costas depois que ele partir. E é claro, tire fotos para guardar de recordação.

E quando a negociação é com a China, considerar suas tradições milenares ligadas às regras de etiqueta chinesas é vital para ter sucesso nas transações.

Esta seção do texto é muito importante para quem quer trabalhar na ChinaClique aqui para ler nosso texto sobre este tema.

 

12 exemplos de regras de etiqueta chinesas

 

Use o Hashi corretamente quando for comer na China
Aprender a usar os famosos “pauzinhos” é muito importante (legendas em japonês).

Os chineses possuem alguns hábitos bem diferentes dos praticados no Ocidente. Para você não passar por nenhum desconforto por lá, separamos algumas dicas:

  1. Cumprimente apenas inclinando a cabeça, no máximo dê um aperto de mão, mas só se o chinês levantar a mão primeiro, pois o contato físico deve ser o mínimo possível.
  2. Não fique gesticulando muito enquanto fala, um sorriso pode ser visto como deboche, então evite qualquer expressão que possa parecer desinteresse no que está sendo falado.
  3. A palavra “não” é rara de ouvir em uma negociação, geralmente eles dirão algo como “quem sabe da próxima vez”.
  4. Durante as conversas é normal que perguntas pessoais sejam feitas, isso mostra um certo interesse em promover um guanxi.
  5. Para fazer um agradecimento, você deve juntar seu indicador e dedo do meio, dobrá-los e bater levemente na mesa.
  6. Nos jantares, sempre é o convidado que paga a conta e gorjetas são vistas como um insulto ao chinês. Os lugares da mesa são demarcados de acordo com a posição das pessoas na empresa. Cabe ressaltar que a pessoa responsável por pagar a conta sempre vai sentar do lado oposto da mesa.
  7. Quando uma comida é servida, a pessoa mais velha tem o direito de pegar primeiro antes que ela seja rodada na mesa. É de boa educação pegar apenas uma pequena porção de cada opção para que todos possam experimentar de tudo.
  8. Para comer, é preciso aprender a usar os palitinhos apropriadamente. Esses utensílios são vistos como extensões dos seus dedos, portanto tome cuidado para não apontá-los na direção de outras pessoas, o que é considerado rude. Além disso, nunca deixe seus pauzinhos espetados na comida, uma vez que isso lembra os incensos utilizados pelos chineses para honrar os mortos, o que – você já deve ter adivinhado – atrai azar.
  9. Ocasionalmente, o anfitrião pode escolher algumas opções e dizer para que cada convidado solicite uma comida adicional. Se é você quem vai fazer o pedido, certifique-se de selecionar uma boa variedade e que o pedido tenha um número par, já que ímpares são reservados para funerais – e isso atrai má sorte.
  10. Antes de se sentar para comer, é importante demonstrar o respeito devido ao seu anfitrião e ao convidado de honra.
  11. Depois de comer peixe, jamais o vire para outras pessoas!
  12. Ao servir chá, você deve segurar a alça do bule com a mão direita e prender a tampa com a esquerda, impedindo que caia. Quando o chá acabar, deixe o recipiente de lado com a tampa parcialmente aberta, o que indica para os garçons que um refil é necessário. Remover totalmente a cobertura é, novamente, imã de azar.

 

Regras de etiqueta chinesas são confucionistas?

 

As regras de etiqueta chinesas eram importantes para Confúcio
Confúcio prezava pela etiqueta

 

A filosofia de Confúcio se baseia no conceito de ren, termo que pode ser traduzido por “benevolência” ou “humanismo”. Para ele, um sábio deve medir suas ações tendo em vista o bem da humanidade – tanto as gerações presentes quanto as futuras. Esse apelo ao altruísmo universal se resume na máxima cunhada pelo mestre 400 anos antes de Jesus Cristo: “Não faças aos outros o que não desejes que te façam”. Outro conceito essencial do confucionismo é o li, que pode ser traduzido como “ordenamento social”. Confúcio acreditava que só poderia haver harmonia entre os homens se cada indivíduo seguisse à risca as normas de sua sociedade – incluindo respeito à hierarquia e etiqueta.

“Socialmente – ou seja, ‘na rua’ – o chinês moderno ainda é profundamente confuciano”, diz o sinólogo André Bueno, do Departamento de História e Filosofia da Faculdade Estadual de União de Vitória, Paraná. O apreço pelas regras de etiqueta pode parecer estranho aos olhos de outros povos – um tipo de choque cultural que ocorre com freqüência entre empresários ocidentais que vão fazer negócios na China. Um exemplo bem atual da obsessão confuciana por esses protocolos: entre os chineses, cartões comerciais devem ser apresentados com os braços estendidos, uma suave reverência com a cabeça e a palma das mãos voltadas para o interlocutor. Quem entrega seu cartão com displicência se arrisca a arruinar transações milionárias. Exagero? Não, confucionismo.

Entretanto, o confucionismo é, na realidade, mais um sistema filosófico ético do que uma religião, embora seja encarada e interpretada muitas vezes como religião. Além disso, o filósofo pregava o respeito aos cultos tradicionais como forma de coesão social. Confúcio acreditava que o taoismo e o budismo (e outras formas de religião enquadradas em correntes específicas) não deveriam ser superadas por sua filosofia, mas, sim, preservadas e coexistirem com seus postulados éticos. Então foi nas outras duas faces da tríade, o taoismo e o budismo, que a alma chinesa saciou seu apetite pela transcendência. E foi da soma do taoismo e do confucionismo, enquanto filosofias, com a religião budista (também interpretada às vezes como filosofia) que se originou o comportamento cultural chinês como extremamente educado, altruísta e coletivista, que preza pela educação e pelo respeito ao próximo.

 

E aí, agora que você conhece as regras de etiqueta chinesas, está pronto para interagir com os chineses? Pois então viaje logo para a China! Entre em contato com a China Vistos e prepare-se para embarcar em uma viagem inesquecível para esse país fascinante.

Gostou deste conteúdo? Continue conosco também no Facebook!

 

Por Rafael Queiroz Alves

Fontes: My Target Idiomas, Mega Curioso e Super Interessante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *