A humanidade sempre se encantou por conhecer novas culturas e diferentes formas de expressão. Os chineses, uma das civilizações mais antigas do mundo, têm um leque bem diverso de manifestações culturais em sua cultura. Para citar algumas: dança do leão, dança do dragão e a Ópera de Pequim, um patrimônio da humanidade pela UNESCO desde 2010. É datada de 1790 e é considerada uma das mais belas, impactantes e reflexivas formas de arte que existem (apesar de existirem também espetáculos de comédia e sátiras).

 

 

O espetáculo

Ao pensar em óperas é comum vir à mente imagens de um evento de muito luxo, majoritariamente europeu, onde cantores atinges notas dificílimas enquanto a plateia os assiste com admiração. A Ópera de Pequim é muito diferente disso! Quem conhece a China ou quer conhecer a China tem que saber que é importante ver aquele mundo com nova percepção. A Ópera de Pequim é bem diferente das óperas europeias. Na China, o espetáculo incorporou outras elementos como acrobacias, dança, atuação, mímica e, é claro, artes marciais. A música ao vivo, os figurinos chamativos e as maquiagens extremamente expressiva, tornam esta experiência única.

Os espetáculos são facilmente encontrados na capital chinesa, Pequim, da onde se originou a arte, mas é possível encontrá-los em outras grandes cidades como Xangai, Taiwan e Tianjin. Existem espetáculos voltados para estrangeiros, onde existe um letreiro com as traduções em inglês, tornando a peça compreensível à todos. A experiência é bem agradável, você senta em mesas bem próximas ao palco e aproveita um chá ou outras bebidas. No Brasil, já houveram festivais de Ópera de Pequim, dom diversos espetáculos (normalmente em São Paulo). Em 2013, por exemplo, ocorreu no Sesc Pinheiros.

 

 

Tradição

A Ópera de Pequim tem uma maneira determinada de ocorrer, pois é repleta de simbolismos. É uma das tradições mais “jovens” da China (se considerarmos que a China é um império desde 221 a.C.). No palco, não existe cenário e os personagens ficam em foco total. Os ambientes são caracterizados com objetos-chave, tradicionais da época da China imperial. As cores de seu figurino representam.

Dentre as características da Ópera de Pequim, está o fato dos espetáculos serem divididos em duas categorias: os civis e os militares. O espetáculo civil normalmente encena intrigas ou histórias de amor e o militar contém diversas cenas de batalhas com acrobacias. Cada espetáculo tem quatro tipos de personagens: o papel masculino, o papel feminino, o cara pintada e o palhaço, que se apresentam de acordo com o personagem e a trama do espetáculo.

Nas maquiagens, as cores têm grande simbolismo:

Vermelho:  honestidade; lealdade
Preto: caráter rude; franco
Azul: bravura; orgulho; lealdade
Verde: impulsividade; violento
Amarelo: ambição
Branco: traição; diabólico

 

 

Por Mariana Madrigali

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *