O crescimento econômico chinês nos últimos anos é claro e inegável. Como consequência, a influência política e cultural da China pelo mundo também aumentou. Mas, como este protagonismo chinês pode beneficiar a comunidade global?

 

crescimento econômico
O investimento na educação é um das estratégias chinesas para seu grande crescimento econômico

 

O crescimento econômico chinês e seus impactos positivos no mundo

Um dos benefícios do aumento da influência chinesa no mundo é a valorização dos setores acadêmicos da sociedade, que aumenta a produção científica e cultural dentro do Estado em questão, fornecendo oportunidades por todo o mundo e contribuindo com o avanço de todas as ciências.

Esse cenário foi evidenciado ainda mais desde que o governo chinês anunciou estar disposto a receber 500.000 estudantes internacionais no país até 2020 por meio da facilitação do processo de obtenção de vistos. Tal facilitação é essencial para receber os intercambistas, pois visa desburocratizar esse processo, uma vez que todos os estrangeiros precisam dele para poder estudar na China, independente da duração do curso.

Entenda abaixo como a China pode investir consistentemente na internacionalização da educação e porque é vista como território fértil para a economia global.

 

Investimentos externos

A China, desde que passou pela Revolução Comunista, a qual teve início com a abdicação ao trono do último imperador chinês – Xuantong (Hsuang-tung) –  no ano de 1911 e que se consolidou no ano de 1949, teve suas estruturas sociais e econômicas revolucionadas, rompendo majoritariamente com seus traços agrícolas e feudais, além de buscar modernizar-se; embora tenha adotado métodos revolucionários baseados no campesinato.

No entanto, a partir da década de 70, mesmo com o Partido Comunista no governo, foram feitas reformas econômicas liberais no país, visando abrir seu mercado comercial para o exterior e retomar atividades industriais, recebendo intensos investimentos estrangeiros.

 

crescimento econômico
A China é uma das maiores potências do mundo

 

Hoje, como resultado deste processo, a China possui um índice de crescimento anual de aproximadamente 10%, é um dos países mais industrializados do mundo e também um das maiores potências. Porém, mantém ainda, no campo público e político, o regime formal comunista; caracterizando-se, portanto, como o que se chama de “socialismo de mercado”.

Um exemplo claro dos investimentos externos no país, os quais têm se intensificado até a atualidade, é o firmamento de conexões entre a República Popular da China e universidades dos Estados Unidos, como Stanford University e New York University.

 

A Situação dos Estudantes Estrangeiros

Em 2014 a China já contava com 377.054 estudantes estrangeiros em suas universidades e, desde então, esse número tem crescido cada vez mais. Há pouco mais de um ano, graças à criação de mais oportunidades de carreira para estudantes internacionais em seu território, a China ultrapassou o Japão como a segunda maior economia global. Então, pode-se reconhecer que o investimento e o desenvolvimento desse ramo contribuíram intensamente com o recente crescimento econômico da China que, contudo, tende a ser expandido.

Acessibilidade e facilidade

Como dito anteriormente, um dos caminhos encontrados pelo governo chinês para fomentar a presença de estudantes estrangeiros no país foi a desburocratização do processo para obtenção de vistos. Diante disso, existem empresas especializadas nessa facilitação. A China Vistos, por exemplo, fornece um serviço de “Vistos via Sedex”, proporcionando conforto e comodidade para seus clientes.

 

crescimento econômico

A empresa acompanha individualmente toda a trajetória do cliente, do início ao fim, até conceder a ele o visto consultar, acelerando o processo e reduzindo custos e prazos. Existem dois tipos de visto disponíveis para estudantes estrangeiros: o X1 e o X2. Os dois são diferenciados pela duração da estadia do estudante no país, bem como o número de entradas permitido. De maneira simplificada, pode-se dizer que, enquanto o visto X1 se aplica ao público que pretende estudar na China por mais de 180 dias, o X2 é voltado àqueles que solicitam um período menor. A China Vistos pode auxiliá-lo no processo de obtenção de visto. Para isso, basta apenas entrar em contato com a empresa. Um orçamento prévio será proposto ao cliente, no qual todas as tramitações para a obtenção do visto, do início ao fim do processo, são acompanhadas.

 

China como exemplo de crescimento econômico e fomento da educação

Apesar de contar com múltiplos fatores e fenômenos que impulsionam sua economia, a República Popular da China, investindo de modo intensivo em seu campo educacional universitário através da internacionalização de suas instituições, dá um exemplo ao mundo de como aumentar suas próprias riquezas e contribuir com o avanço científico, cultural e acadêmico na comunidade internacional.

Um dos fatores mais indicados como essenciais para o crescimento econômico chinês e para o crescimento do futebol no país é a existência das famosas Zonas Econômicas Especiais, que consistem em territórios onde diversas multinacionais estrangeiras se localizam. As ZEEs, como também são conhecidas tais Zonas, estão espalhadas pelo litoral leste da China e recebem grandes investimentos, além de produzir lucros milionários através de uma colaboração entre a iniciativa pública e o apoio de setores privados estrangeiros, como, por exemplo, dos Estados Unidos.

Embora as famosas Zonas Econômicas Especiais sejam mesmo fator preponderante para a ascensão da China no cenário atual, a China possui uma grande terceira estratégia para seu crescimento econômico: a internacionalização da educação universitária.

 

crescimento econômico
Universidade de Hong Kong

 

Existem várias instituições de ensino na China que são renomadas e reconhecidas mundialmente por formar grandes cientistas e intelectuais. Diante disso, se analisarmos a possibilidade de estudo na China de maneira individual e livre de avaliações geopolíticas, é extremamente válido considerar a oportunidade de realizar intercâmbios estudantis para o país, pois o contexto atual chinês é bastante favorável e tende a se manter assim, ou a ampliar-se ainda mais.

 

E aí, o que você achou? Que tal estudar na China? Não deixe de compartilhar sua opinião conosco nos comentários! Se você precisa de ajuda na obtenção de vistos para a China, entre em contato conosco!

Gostou deste conteúdo? Continue conosco também no Facebook!

 

Por Rafael Queiroz Alves

Fontes: Hot Courses; China Vistos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *