Com as medidas de quarentena tomadas pela China para conter o vírus Covid-19, a entrada de estrangeiros no país foi adaptada para diminuir o risco de contágio. A China não tem apresentados casos de contaminação local nesta semana, os casos remanescentes no país são os chamados “casos importados“. Isso torna ainda mais importante o controle da entrada de estrangeiros no país.

Entenda como o país, que recebe milhares de estrangeiros diariamente, está administrando a quarentena de todos eles num tempo impressionante. A organização do processo impressiona pela eficácia e rapidez. O governo chinês adotou medidas restritas para conter o vírus e não tem interesse em movimentação turística no momento. A entrada em cada local acontece de maneira diferente. Entenda como está ocorrendo a entrada de pessoas nas cidades de Pequim, Xangai e Guangzhou.

Agentes de saúde em aeroporto chinês. Estes entram em aeronaves para checar a temperatura dos passageiros e coletar informações.

Chegada em Pequim

As pessoas que chegam à Pequim, provenientes de outros locais de entrada no país, precisam enviar seu planejamento de viagem e eventuais acontecimentos à sua comunidade local, para que se preparem. Ao chegarem na comunidade local, todos devem seguir medidas preventivas de contágio. Os que ocultarem seu histórico de viagem serão devidamente punidos pela lei.

 

Conheça o passo a passo de um estrangeiro que chega em Pequim com o depoimento de uma passageira:

 

1. Voô com destino a Pequim é desviado para Tianjin. Cada companhia aérea tem um local designado para pousar.

Consulte o local de pouso designado para cada companhia aérea abaixo:

 

2. Após o pouso, os agentes de saúde entram no avião. Aqui ocorre o preenchimento dos papéis de imigração e a inspeção de saúde dos passageiros. Esta etapa dura cerca de 3 horas.

3. A checagem de temperatura demorou muito pois haviam 5 pessoas com febre. Nestes casos, eles testam várias vezes pra ter certeza. Neste ponto, eu que estava na poltrona 5A e 5C da executiva e sai 3 horas após entrarem. Quem estava na econômica saiu depois, em setores. Alguns ficaram 8 horas dentro do avião. Quando alguém tinha febre, isolavam todos de 3 fileiras à frente e atrás. O que define a demora e as quarentenas no local de chegada ou de destino é o fato de ter alguém com febre ou não. Na hora de preencher, você coloca o destino final que deseja. Eu coloquei meu endereço e minha conexão original.

4. Depois de descer do voo, passa-se pelo túnel, mostra-se a papelada necessária. Após isso, os passageiros vão para um setor com agentes em mesas para preencher novos formulários. Aqui você é qualificado como quarentena na cidade de chegada ou em algum hotel da sua cidade (para os que têm conexão para outras cidades). Em alguns casos me parece que permitem quarentena domiciliar. Levei cerca de 2 horas nesse processo. Estava na executiva, por isso foi “rápido”. Quem estava na econômica levou umas 3 horas a mais.

5. Neste ponto passa-se pela Imigração e caminha-se até o portão para re-embarque no mesmo voo e seguir para Pequim, com o mesmo bilhete e mesmo avião. Esta etapa durou 30 minutos.

6. Espera pelo voo. Eles limpam e desinfectam o avião e esperam até que todos passageiros que foram liberados pra seguir venham para a aeronave. Esta etapa demorou 7 horas.

7. Pousando em Pequim, diversos ônibus buscam todos e levam pro exhibition center (centro de exibições) onde eles separam as pessoas por província e direcionam aos voos de conexão. Este é o chamado centro de triagem (imagens abaixo). Lá são preenchidos mais papéis com informações do voo (inclusive se for perdido) e te redirecionam nele. Necessita aguardar no local até o próximo embarque.

A seguir, levam de ônibus todos passageiros que vão pro mesmo destino, passando também por alguns em hotéis buscando outros passageiros. Chegando no aeroporto, nos levaram até os guichês, onde é feito o nosso check-in, sempre isolados dos outros do aeroporto.

Outra imagem do centro de triagem em Pequim, instalado em centros de exibição. É possível notar as demarcações no chão para delimitar o espaço entre cada um.

8. Tempo até o horário usual do voo. Embarca-se normalmente no voo para sua cidade de destino. Chegando, novamente agentes de saúde entram no avião e checam a febre de todos. Os passaportes são retidos para serem devolvidos após pegar as malas. Mais papéis preenchidos. A seguir, ônibus direcionam os passageiros para o local de pegar as malas.

9. No desembarque, os agentes recebem os formulários, fazem o exame e então devolvem os passaportes. As pessoas são levadas para hotéis de quarentena próximos à sua casa.

10. A última etapa é a quarentena: 14 dias sem sair para nada. Tem horários fixos pra informar temperatura, para nos levarem comida, recolherem o lixo. Não pode sair do quarto de hotel.

Chegada em Xangai

A partir de 20 de março, as pessoas que moraram ou viajaram para os seguintes países devem passar por uma quarentena de 14 dias em sua casa ou locais designados pelas autoridades responsáveis.

Os países da lista são: Coreia do Sul, Itália, Irã, Japão, França, Espanha, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, Suíça, Suécia, Bélgica, Noruega, Holanda, Dinamarca, Áustria, Austrália, Malásia, Grécia, República Checa, Finlândia, Catar, Canadá e Arábia Saudita.

Para os indivíduos que se aplicam nas condições citadas acima, o procedimento é o seguinte:

Aqueles que chegam através dos dois aeroportos de Xangai têm suas temperaturas checadas à bordo por funcionários da alfândega. Além das temperaturas, os funcionários também pegam informações de cada passageiro.

Caso apresente sintomas (febre ou outros), o passageiro é encaminhado para uma ambulância que o levará a um hospital designado.

Caso não apresente sintomas, o passageiro prossegue até o terminal. No terminal é realizada a investigação epidemiológica e uma declaração de saúde, ao final, mais uma medida de temperatura. Aqui, dependendo do nível de risco do passageiro, decide-se por mais testes em hospital, quarentena ou liberação. Os passageiros provenientes dos países acima listado são transportados pelos funcionários do aeroporto a locais determinados onde serão checados. Lá, são testados para o novo coronavírus. Passageiros de outros países vão direto para a casa, para permanecer em quarentena em suas casas.

Chegada em Guangzhou

Após pisar em solo chinês, os passageiros demoram em média 29 horas até chegar a seus hotéis para quarentena. Todos que desembarcam em Guangzhou estão sendo testados, tanto estrangeiros quanto chineses residentes. A partir de 19 de março todos os viajantes com nacionalidade chinesa e viajantes estrangeiros com histórico de viagem ou residência para os países listados abaixo que cheguem em Guangdong devem passar por uma quarentena de 14 dias em casa ou locais designados.

Os países da lista são: República da Coreia, Itália, Alemanha, Irã, França, Estados Unidos, Espanha, Reino Unido, Tailândia, Filipinas, Suíça, Suécia, Bélgica, Noruega, Holanda, Dinamarca, Áustria e Malásia.

Após a chegada no Guangzhou Baiyun International Airport, os passageiros seguem caminhos diferentes de acordo com a apresentação ou não de sintomas. Aqueles que demonstram sintomas são transferidos imediatamente para um instituto médico, enquanto aqueles que não demonstram seguem para o desembarque. Aqui, preenche-se o formulário de declaração de saúde e realiza-se a inspeção de quarentena. Após isso ocorre o preenchimento de mais formulários, a inspeção de imigração e a chegada da bagagem.

Neste ponto, os passageiros tem seus passaportes classificados em 4 cores. Aqueles com passaporte classificados como amarelo (aqueles que vão transferir para outras cidades) prosseguem para esperar o voo e vão para seus respectivos destinos como planejado. Os classificados como verdes (passageiros estrangeiros sem histórico de passagem por área de risco nos últimos 14 dias) são buscados por funcionários que os testam para o Covid-19. Após o teste, não necessitam de quarentena.

Os classificados como laranja (aqueles com histórico de passagem em áreas de risco nos últimos 14 dias) e os classificados como vermelho (estudantes que retornam de intercâmbio e passageiros chineses que vão deixar o aeroporto) são transferidos para hotéis, onde serão testados. O resultado deste teste define se o passageiro vai ser destinado à uma instituição médica ou não.

 

 

 

 

Por Mariana Madrigali

Fonte: Weixin

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *