Levando em conta que estamos no final do ano, 2018 promete mudanças em nossas vidas, certo? Por isso, você, brasileiro, que cogita a possibilidade de sair do país à trabalho e que já tem um certo interesse pelo grande dragão asiático, pode considerar trabalhar na China. Neste artigo tais condições serão analisadas. Quer saber mais? Continue lendo abaixo!

 

Trabalhar na China sendo brasileiro

Não faltam oportunidades de emprego na China. É abundante a quantidade de ofertas de empregos e essa condição é constante no país, tanto em estabelecimentos comerciais, como em empresas. As pessoas comumente sempre têm oportunidade para trabalhar na China.

 

trabalhar na china
China e Brasil são grandes aliados comerciais e políticos

 

Se você, brasileiro, é formado em qualquer curso e pretende trabalhar na China, pode ser acolhido facilmente, desde que seus concorrentes chineses não tenham experiência na sua área, pois o governo chinês estimula a prioridade da contratação de pessoas nativas. Exemplo: um engenheiro mecânico brasileiro que vá à China à trabalho só será contratado por uma empresa caso não haja, no local onde se instalou, chineses com a mesma formação.

No entanto, o fluxo de estrangeiros que vão à China para trabalhar tem crescido cada vez mais. As pessoas de fora têm percebido que os salários são bons para quem tem boa qualificação. Contudo, caso seja seu caso, saiba que você tem boas oportunidades à sua espera por lá. Entretanto, caso não tenha curso superior ou alguma especialidade, pode arriscar, mas as chances não serão tão favoráveis e certeiras como as de quem tem um curso superior, pós-graduação etc. Pode ser difícil trabalhar na China assim. E, desse modo, honestamente, é altamente recomendável que um brasileiro que busque trabalhar na China se encaixe na categoria de mão de obra qualificada, correspondendo ao primeiro caso mencionado, possuindo, pelo menos, graduação.

Quais empregos comumente são oferecidos aos estrangeiros? Ensino de idiomas (é a oportunidade de emprego mais abundante para pessoas vindas de fora e nós, enquanto brasileiros, podemos lecionar inglês e português, principalmente), supervisão, gerência etc. Podemos também fazer o que chineses normalmente não estão aptos a fazer: por exemplo, podemos ser consultores de empresas multinacionais para nos relacionarmos de lá com o próprio Brasil – levando em conta a realidade dos BRICS e o fato de que a China é o país que mais importa e exporta produtos em relação ao Brasil, sendo nosso maior parceiro comercial, com uma contribuição decisiva na balança comercial para aumentar nosso PIB -, podemos não só ser consultores, como nos enquadrarmos em qualquer cargo específico de multinacionais, dadas as nossas condições, podemos suprir cargos que exijam qualificação vinda de fora, entre outras atividades.

 

trabalhar na china
Os chefes de Estado do Brasil e da China se reúnem com frequência

 

Entretanto, analisando esse contexto de profissionalização internacional, podemos comparar os brasileiros, que partem a trabalho para os Estados Unidos, com os que partem a trabalho à China. No primeiro caso, como é sabido, muitos dos nossos acabam em subempregos, principalmente quando não têm qualificação necessária – acabam trabalhando como faxineiros, seguranças, pedreiros, etc. Já na China, considerando que é o país mais populoso do mundo, isso será mais improvável. Por isso, fortalece-se a sugestão de que, para ir para lá, deve-se ter uma qualificação profissional. Você não deve ir trabalhar na China em empregos modestos; pelo contrário, deve partir com a ambição de ter um emprego específico, de dimensões internacionais.

Existe uma grande diversidade de empregos qualificados na China. De acordo com relatos do canal 2 a Mais, nossos parceiros, pode-se constatar que quem reside no país (não está lá apenas como turista ou como morador temporário, mas, sim, como morador e trabalhador fixo e definitivo), está satisfeito, pois recebe uma remuneração alta e satisfatória e não possui custo de vida elevado. O custo de vida local é baixo e, portanto, trabalhar na China ganhando bem garante conforto, excedentes particulares e chances de poupanças e investimentos.

Entretanto, sabe-se que a cultura chinesa é exótica pelo ponto de vista dos brasileiros, isto é, a culinária de lá é alternativa, os hábitos populares são peculiares, a ideologia coletiva diverge das tradições brasileiras, entre outros fatores. Mas, se você é uma pessoa de “cabeça aberta”, curiosa, disposta a entrar em contato com o que é diferente, que gosta de coisas novas e de explorar realidades diferentes, esse “choque cultural” não equivalerá a problema algum; ao contrário, te proporcionará experiências incríveis!

Então cabe a você, brasileiro, avaliar se vale a pena ou não se abrir a uma mudança desta magnitude na sua vida. Se você já tem pretensões em níveis internacionais, já tem proximidade com a China, é cliente da China Vistos e leitor do nosso blog, e se encaixa no perfil descrito no parágrafo acima, embora a decisão caiba a você, a chance de dar certo é altíssima.

 

“Trabalhar na China exige saber mandarim?”

 

trabalhar na china
Alianças entre China, Brasil e EUA

 

De acordo com relatos da equipe do canal 2 a Mais, já antecipando a resposta para a pergunta deste tópico, pode-se dizer que: em muitos casos, não, você não é necessariamente obrigado a saber mandarim para viver e trabalhar na China. Se você vier para as maiores cidades da China, sempre poderá se comunicar através do inglês. E se vier trabalhar para uma grande companhia multinacional, também poderá fazer uso do inglês para se comunicar com seus colegas. Isso porque o inglês, hoje, é a “língua dos negócios internacionais”, principalmente na China, com suas políticas de abertura de mercado para investidores estrangeiros.

Entretanto, fora do ambiente empresarial, o inglês não pode ser esperado por parte de habitantes comuns da China. O idioma oficial do país é o mandarim, apesar da aderência profissional concentrada no inglês. Por isso, é altamente recomendado que, caso você vá à China à trabalho, estude pelo menos o mandarim básico e voltado para tratamentos de rotina. É necessário estar apto para usar o mandarim ao comprar comidas, chamar táxis, cumprimentar e se despedir de pessoas, ter conversas rápidas, etc. Porém, dependendo do nível de desenvolvimento e de internacionalização da região onde você estiver instalado (Shanghai e Hong Kong, por exemplo, são conhecidas pelo alto nível de presença de pessoas vindas de fora da China), frequentemente encontrará nativos que vão querer treinar o inglês deles com você. Os chineses serão sociáveis e acolhedores, nesses casos, e você ainda poderá aprender bastante com eles. Aliás, em comparação com o Brasil, há mais chineses que sabem falar em inglês do que brasileiros.

Já a Christine Marote, do blog China na Minha Vida, relata que, morando em Shanghai por mais de oito anos, nunca precisou aprender o mandarim avançado e ficar fluente no idioma. Só com o inglês e com conhecimentos básicos do idioma nativo da China, conseguiu sobreviver muito bem – e o mais importante: sempre esteve empregada. Existe uma rede de serviços e facilidades para a vida do estrangeiro na cidade. Shanghai é uma cidade internacional. Então é relativamente fácil encontrar serviços e ambientes onde o inglês domina. A autora ainda converge com os relatos do 2 a Mais no tocante à vontade dos chineses que não sabem inglês muito bem de relacionarem-se com estrangeiros, ajudá-los e esforçarem-se para compreendê-los. Ela enfatiza, portanto, que é possível viver em cidades internacionais somente com o uso do inglês – com destaque para Shanghai – e com conhecimentos básicos de mandarim, além do povo chinês ser extremamente acolhedor, nesse sentido.

Conclusão deste tópico: é possível sobreviver na China com o inglês, sim, mas também é necessário ter um nível básico de conhecimento de mandarim. Se você, assim como muitos brasileiros que possam se adequar ao perfil para viver e trabalhar na China, tem conhecimentos de inglês, já está encaminhado para adentrar nessa aventura!

“Mas e se eu quiser aprender mandarim para viver e trabalhar na China? Vale a pena?”

Segundo uma pesquisa realizada em 2017 pelo Map Porn, entre 7.102 idiomas conhecidos no mundo, o mandarim é falado por cerca de 1 bilhão e 300 milhões de pessoas, sendo, assim, a língua mais falada no planeta. Porém, é a quinta língua mais estudada, ficando atrás do inglês (a mais estudada de todas), do francês, do espanhol e do italiano, o que significa que o mandarim tem uma projeção acadêmica inferior a essas quatro línguas citadas e, também, que tem uma relevância menor no mercado de trabalho. Entretanto, ainda assim, está na frente de mais de 7.000 idiomas, enquadra-se no “top 5 de línguas mais estudadas” e está na frente da língua japonesa e, também, até mesmo da alemã.

 

trabalhar na China
Pesquisa, realizada pelo Map Porn, analisa amplamente os idiomas mais influentes do mundo

 

Também, deve-se considerar que supõe-se que a China se tornará, em poucos anos, a maior potência mundial em sentido econômico e, mais para frente, até mesmo político e social. Já que essas deduções ocorrem graças a um crescimento real, o Mercado Internacional sempre tem sua atenção voltada ao país. Hoje é quase impossível uma grande empresa não ter uma filial na China; é um mercado que ninguém quer ou pode desprezar.

Da mesma forma, a China é o maior comprador de produtos do Brasil. Com isso, surgem oportunidades de empresas brasileiras que mantêm escritórios na Ásia, assim como multinacionais que oferecem posições no mercado de trabalho. Como via de mão dupla, os chineses estão comprando muitas empresas no Brasil ou trazendo negócios daqui para lá. Dada a tendência da gestão governamental atual, faz sentido cogitar que nossas empresas estatais sejam privatizadas sendo adquiridas por grupos chineses, futuramente.

Então, diante de um cenário de relevância internacional e de tendências expansionistas, o quadro tende a melhorar cada vez mais para a República Popular da China. Aprender mandarim está começando a valer a pena mais do que em qualquer outro momento da história. Mas, se você quiser começar sua carreira na China só sabendo o inglês, como já sabemos, também dará certo. Apenas não se esqueça que aprender mandarim pode te fazer bem para trabalhar na China.

 

Por fim, falando ainda sobre a busca pela ascensão da vida profissional, abaixo você, que tem o espírito chinês de ambições profissionais, poderá ver as dez leis do sucesso de Jack Ma, dono do Grupo Alibaba, o homem mais rico da China e um dos mais ricos do mundo:

 

 

E aí? Agora trabalhar na China parece uma boa ideia? Dê uma chance para um plano tão grandioso quanto esse. Pegue seu visto chinês e se prepare para mudar sua vida por completo!

Gostou deste conteúdo? Continue conosco também no Facebook!

 

Por Rafael Queiroz

Fontes: 2 a Mais, China Link Trading, China na Minha Vida, XinaChina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *