China – Conquistando o mundo virtual

China – Conquistando o mundo virtual

Muito se fala sobre a China e o quanto a produção aqui é grande, que suprem o mundo todo com seus milhares de trabalhadores. Há quem diga que a China foi responsável pela crise mundial, afinal, tudo é ‘made in China’ atualmente.
Mais do que isso, a China tem ganhado um outro terreno: a internet – seja pelos websites de compras online, seja pelos aplicativos e todos os tipos de mídias que podemos imaginar. E o mais interessante desse fenômeno é que esse tipo de serviço não precisaria ter rompido fronteiras para ter sucesso. A China tem usuários suficientes para fazer milionários em qualquer ‘startup’ da vida.
Mas do que estou falando?
De sites de venda como o Taobao, e sua versão internacional que é o AliExpress, aplicativos para smartphones que estão pipocando todos os dias, comunicadores online como o WeChat, versão melhorada do Whatsapp. Todos eles criados para suprir o mercado interno, mas acabaram ganhando o mundo.
E o que eles têm de especial?
Várias coisas, cada um no seu quadrado podem nos trazer um monte de vantagens e facilitar a vida diária. Aqui vou falar um pouco dos dois principais e mais queridinhos entre todos: Taobao e Wechat.

curiosidades_china
Death to Stock Free user.
Taobao
É um site de compra, no melhor estilo Amazon, mas com preços chineses. O que sem dúvida nenhuma acaba com qualquer concorrência. Apesar de que temos que levar em conta que, ultimamente, com o valor do dólar para os brasileiros nas alturas, não sei se ainda compensa comprar da China. Mas vamos lá.
A versão ocidental do Taobao é o AliExpress ou AliBabá. O Taobao, até onde sei só vende direto para alguns países fora da China (e o Brasil não está na lista). Mas quando você entra no site estando fora, a página que abre é o Taobao ‘oversea’. Ou seja, já tem uma diferença de preços e até de produtos. Descobri isso porque outro dia abri com meu VPN ligado (aí estou com conexão dos EUA) e ele foi direto para uma página com preços bem estranhos para a média do Taobao chinês. Desliguei o VPN e tudo voltou ao normal.
Quando fui ao Brasil no início de 2015, o dólar não estava tão alto, fiquei boba como meus amigos acessavam e compravam as coisas pelo AliExpress. Acho que até aquele momento, não havia entendido o alcance desse site chinês.
A quantidade de vendedores e de tipos de ofertas é tão grande e tão diversificada, que é possível passar horas navegando por ali. De roupas, comidas, decoração (incluindo casas e carros), passagens aéreas e o que sua imaginação permitir, se encontra no Taobao/AliExpress. É um perigo aos mais consumistas, porque no final sempre se acha algo muito necessário (só que não) para comprar. Se está pesquisando sobre malas, conforme vai navegando vão aparecendo todas as opções de acessórios que se pode imaginar… uma farra!
Para vocês terem ideia do poder desse website, já conseguimos aqui na China, comprar produtos brasileiros básicos que até 6 meses atrás eram desejo de consumo dos brazucas vivendo desse lado do mundo, como Guaraná Antártica e mistura para pão de queijo!

Na China ele é conhecido como Wēixin 微 信, que significa ‘micro mensagem’. Mas vamos combinar que de micro não tem nada. Foi criado como um serviço de comunicação de texto e mensagens de voz desenvolvido pela Tencent na China, em janeiro de 2011. E hoje é um dos maiores aplicativos de mensagens instantâneas no mundo.
Quando escrevi acima que eles não precisavam romper fronteiras para ter sucesso, foi baseado no número astronômico da população chinesa com quase 1.400 bilhões de pessoas. Por si só, já são um sucesso certo.

curiosidades_china

Em agosto de 2015, o WeChat já contava com mais de um bilhão de contas criadas, 600 milhões de usuários ativos, sendo 70 milhões de fora da China (muitos são chineses vivendo no exterior, afinal eles estão pelo mundo). Mas os estrangeiros, depois que entram na onda do aplicativo, dificilmente abandonam. Como tudo na China, o app cresceu rápido demais.
Ele sozinho supre muito bem as funções do Whatsapp (que não é popular entre os chineses) e o Facebook (proibido na China). Além das conversas instantâneas por texto ou voz, cada usuário possui sua ‘timeline’ onde pode postar suas fotos, compartilhar notícias e momentos. Também é possível marcar um amigo através de seu nome de usuário. O interessante é que se pode fazer isso mesmo num grupo de mensagens, o que facilita quando queremos chamar atenção de determinada pessoa num grupo grande.
Mas não para por aí: dá para pagar contas de luz, água, telefone, colocar créditos nos seu celular e suas compras na rua. Simplesmente escaneando o código de barras da loja (QR Code) ou transferindo dinheiro de usuário para usuário. Os bancos chineses são todos compatíveis com o sistema, mas você pode deixar alguns remembies de crédito na sua ‘carteira’ no próprio aplicativo.
Outra função super interessante é o tradutor simultâneo. Se alguém recebe a mensagem em mandarim, basta selecionar e clicar na opção ‘traduzir’, e sua mensagem estará no idioma escolhido. Simples assim.
Com a crise que aconteceu no final de 2015 no Brasil entre whatsapp x operadoras, muitas pessoas conhecidas acabaram baixando a versão internacional do WeChat e agora posso conversar com meus amigos brasileiros pelo aplicativo chinês.
Eu recomendo. E as funções do WeChat cada vez mais estão ganhando o mundo. Se quiser entender melhor como funciona, acesse o website oficial e também, a título de curiosidade, nesse link (em inglês) há um infográfico bem interessante sobre o aplicativo.
Se usar qualquer uma das sugestões que coloquei aqui (Taobao ou Wechat), deixe suas impressões, experiências e dicas nos comentários. É muito bom interagir com você!
Até a próxima!

Christine Marote
Fonte: http://chinanaminhavida.com