A partir de ontem, dia 25 de Janeiro, o governo brasileiro passou a facilitar a emissão de vistos para turistas norte-americanos. Agora, os cidadãos dos Estados Unidos, que quiserem visitar o Brasil a turismo, poderão solicitar seus vistos pela internet. Com a decisão do governo brasileiro em emitir o visto eletrônico, o prazo de concessão cai de 90 dias para 72, a partir da apresentação dos documentos requeridos.

 

visto eletrônico

 

A facilitação do visto eletrônico pelo Brasil beneficiará não apenas os cidadãos norte-americanos, mas também turistas provenientes de países como Austrália, Canadá e Japão. Além disso, tais medidas passam a valer para os vistos de turismo e negócios, mas não interferirão nos vistos de trabalho e de estudo.

 

A decisão de emitir o visto eletrônico

Segundo estatísticas, os norte-americanos são o segundo maior mercado emissor de turistas para o país, ou seja, os turistas provenientes dos Estados Unidos são bastante significativos para o turismo nacional – injetam 710,5 milhões de dólares por ano na economia brasileira – e ficam atrás apenas dos turistas argentinos.

 

visto eletrônico

 

Atualmente, o Brasil é destino de apenas 0,7% dos mais de 75 milhões de turistas oriundos dos Estados Unidos. Visando atrair cada vez mais turistas norte-americanos, o governo brasileiro tomou a decisão de facilitar a emissão de vistos através do visto eletrônico.

O Brasil quer incrementar o turismo nacional e atrair cada vez mais turistas, por isso a facilitação do visto eletrônico a cidadãos norte-americanos, canadenses, australianos e japoneses que queiram visitar o país a turismo. De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), tais medidas incrementam em até 25% o fluxo entre os destinos beneficiados. Agora, a partir desta decisão, o Ministério do Turismo acredita que os norte-americanos passarão a gastar 177,6 milhões de dólares a mais na economia nacional.

 

Não se esqueça que você pode sempre contar com o auxílio da China Vistos para tirar seu visto para qualquer país!

Gostou deste conteúdo? Continue conosco também no Facebook!

 

Por: Ana Yamashita

Fontes: Veja